O meu herói nunca falha, e o seu?

Alguns golpes da vida te impulsionam pra frente… Um pequeno empurrãozinho lhe joga pra frente, mas em segundos lhe causa a queda. Você está obstinado, “na boca do gol” e tudo o que precisa é um impulso…… Esse chega avassalador, do seu concorrente, opositor, ou mesmo de quem joga no mesmo time. Já aconteceu isso com você?

Não importa o quão focado, dedicado, concentrado; a bola está em jogo, os sonhos amarelos brilham como ouro;  Deus envia um cartão “verde” lá de cima e reforça a esperança de que “Ele é contigo!”, abra-se o mar, o céu azul, a torcida grita, levanta a bandeira da paz, mais brasileira que nunca: Ordem e p…. quando todos esperavam o progresso chegar, eis que surge o inimigo…roubando sua paz, lhe passando uma rasteira, ou melhor, apunhalando você pelas costas…. o impacto é grande e o tombo é inevitável. Dor…..gritos….impotência!

A platéia assiste….em choque.  A cena, “dramáááática”. O seu tombo, a minha queda, a nossa derrota não é televisionada… A dele foi. Nossas lutas do dia-a-dia são silenciosas, o choro é contido. A cruz que você carrega nas costas é tão pesada quanto uma joelhada nas costas…. Há um dito popular que “quanto maior a expectativa, maior a queda”.  Se carrega uma equipe, um título, uma nação nas costas, mas durante o percurso ela é violentamente atacada. E apesar de todos seus esforços, da força do seu braço, a chuteira de ouro não impede sua queda. O inimigo te derrubou. Mas não te venceu.

Lembre-se, eu sou contigo!

“Bem sei que tudo podes , e nenhum dos teus planos pode ser frustrado”. Jó 42: 2

O choro pode durar uma partida, mas a vitória vem pelo alto!

Conseguimos pensar em perdão nessas horas? Conseguimos eximir a responsabilidade do nosso adversário, resumindo apenas em “foi uma fatalidade”?  E a pressão vindo de todos os lados: equipe, técnico, patrocinadores, espectadores. Não basta ser o melhor. Eu preciso ser o melhorjogador-melhorartilheiro-melhorbrasileiro-melhorcommenosde30maisbempagodetodosostempos.

Mas esse título ninguém me tira: Eu sou blindado!

Salmo 91.7 :  Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti.

Depois da dor física, surge lentamente a dor da culpa… E se?. Por que eu? E agora? Recomeçar? É o primeiro passo. E recomeçar significa recomeçar com gratidão. Ser grato por chegar tão longe, pela permissão de estar onde está. Gratidão por apesar de ser ferido, continuar vivo, desfrutando da graça e misericórdia de Deus. Gratidão pelas segundas, terceiras e inúmeras chances que a vida nos dá. Gratidão por jogar a bola bem longe, ter fôlego e poder alcançá-la. Gratidão por saber que pessoas totalmente desconhecidas e anônimas oram por você querido e querida. Isso, não há dinheiro no mundo que pague.

Texto da Sista Letícia S. S. Wolf

Anúncios

A little bit o’this, a little bit o’that.

Por que tudo sempre está relacionado a imagem, estética, beleza, feiura, estranheza das coisas? Lembro-me de quando eu tinha 15 anos e queria tanto encontrar um coturno preto daqueles em estilo gótico, em plena cidade do interior do RS, há mais de 500 km da capital. Para realizar meu sonho de adolescente eu teria que esperar a chegada do século XXI, pois com ele viria a democratização da Moda. Vamos combinar que viver em 2014 é o máximo, temos a disposição um mercado cultural diversificadíssimo. Oh coisa boa ter vários estilos numa vida, acordar cada dia diferente e poder ter vontade de comprar um coturno gótico e encontrar, apenas garimpando em lojas, brechós, e até navegando pela internet.

Independente de como esteja a nossa autoestima – que não é uma sensação estática e pode (deve!) ser desenvolvida, os recursos a nosso favor são infinitos, para isso basta que a nossa curiosidade também seja interminável. Não tem nada que não possamos aprender, talvez seja um pouco difícil lidar com as fantasias que nós mulheres criamos, pois temos o dom de “viajar” e como diz Martha Medeiros em sua crônica* de 1999, Pedaços de mulher – Todo ser humano é um quebra-cabeça composto por muitas peças, e concordo com Almodóvar: nós, do sexo feminino, fazemos parte daqueles jogos mais complicados, difíceis de montar. Quantos pedaços formam uma mulher? Tanto que ela vive inacabada. Nossos pedaços custam a se encaixar.

Temos muitas fases e sua duração pode variar bastante, de acordo com a nossa capacidade de lidar com os momentos. Mas é fato que conseguimos ultrapassar as barreiras da nossa própria inconstância. O jeito é lidar com ela com muito bom humor, procurando tirar lições divertidas e práticas neste universo tão amplo que a Moda nos proporciona.

Uma alternativa é especular os brechós da nossa cidade, romper o preconceito de adquirir roupas, calçados, acessórios usados, e reinventá-los adaptando para o nosso estilo. É um exercício econômico e pode ser uma experiência bacana. Gosto quando Martha Medeiros, em outra crônica sua, Breguices, nos mostra um olhar de outro prisma sobre esta ideia que temos sobre o antigo – Há uma corrente fortíssima que defende a ideia de que não existe brega e chique, que brega é achar os outros brega. Conversa. Qualquer pessoa saberia fazer uma listinha rápida do que é cafona e do que não é. O problema é que não há consenso sobre isso. Quem terá a razão: os que batizam a filha de Jennifer, achando isso o suprassumo da elegância, ou os que batizam o filho de João, acreditando a mesma coisa? Infelizmente, nem todos consideram a simplicidade a coisa mais sofisticada do mundo.

E nunca é tarde demais para redirecionar os nossos gostos que podem ser refinados com esta escassa simplicidade, encarando a realidade, abraçando-a. Não adianta procurar padrões e sensações do lado de fora, quando a satisfação precisa ser sentida do lado de dentro né? E a gente vai dando os passos conforme as nossas pernas alcançam, trocando figurinhas com as amigas, pois quando “se estuda” e se tem clareza de PREFERÊNCIAS, passamos a ‘escolher o que vestir de acordo com objetivos autênticos e eficazes, que fazem sentido de verdade. Viver na ignorância, transferindo responsabilidade, procurando ser alguém que não é, não leva a sucesso nenhum. E a gente já é tão legal, já dá conta de tanta coisa nessa vida, já alcançou tantas vitórias em tantas áreas diferentes… Não é hora então, de tomar as rédeas da própria existência e começar a cuidar de quem a gente é (visualmente) de dentro para fora? Vambora refletir o nosso melhor?’ Tiraram as palavras da minha mente viajante, as grandes consultoras Cris Zanetti e Fê Resende lá do livro mega bacana Vista Quem Você é, Descubra e aperfeiçoe seu estilo pessoal.

Para finalizar o post de hoje, eu deixo uma música da Lorena Chaves, que eu amo e me inspira para escrever, que fala um pouco do lado narcisista com a qual convivemos, e lutamos. Vale a meditação na letra people!

Memórias de um narciso – Lorena Chaves

Estou preso em meio a um labirinto cheio de espelhos
O meu mundo gira em torno das vontades que eu tenho
Estou imerso em um sistema que me diz: – você é livre!
Mas no fundo o desejo pela liberdade não cessou

Que eu sou escravo do consumo desse amor por mim
Eu sou escravo sem saber que sou assim
Eu sou escravo do consumo desse amor por mim
Eu sou escravo sem saber

No fundo eu me cansei de me relacionar comigo
E eu escrevo aqui as últimas memórias de um narciso
Vou procurar a paz que não se encontra em mim
Essa plenitude não se pode achar em alguém como eu

Que sou escravo do consumo desse amor por mim
Eu sou escravo sem saber que sou assim
Eu sou escravo do consumo desse amor por mim
O amor não pode ser tão egoísta assim

Beijos da Vi!

* Martha Medeiros, Non-Stop Crônicas do Cotidiano, L&PM Pocket

Imagem

Di Mery BrechóRua Dom Henrique, 362. Vila Real – Balneário Camboriú – SC

Uma sexta-feira caseira!

Nós do De Roupa e Alma não queremos propagar padrões de beleza inatingíveis muito menos comportamentos que denigrem a imagem da mulher! Muito pelo contrário! Abrimos este espaço para divulgar a alegria e a liberdade que podemos ter como cristãs, totalmente livres dos padrões impostos pela mídia! Claro que não temos como viver alienadas, alienados ao que nos cerca, mas nem tudo serve para nossas vidas! Todo ser humano veio com um filtro para separar o que é bom e o que é mau. Nesta sexta-feira já passando das 22h, tenho a satisfação de ter tido uma semana cheia de trabalho; de comunhão com minha irmã e amigos, e agora a noite, após fazer aquela faxina no nosso apartamentozinho, tomei um banho, passei uma make básica (lápis de olho marrom, rímel e sombra marrom) e vou buscar minha mana no trabalho (ela é Teacher de inglês numa escola estadual), e provavelmente vamos passar em algum lugar petiscar um docinho! Simples assim!
#alegria do #Senhor é a nossa #força.
Um abençoado final de semana a todos! 

Beijocas da Vivika
Imagem
Ps.: A carinha de cansada não deu para disfarçar! Mas tem coisas tão naturais que não precisamos disfarçar né?!

Se contar ninguém acredita, Picasso!

ImagemImagem

Do último post para cá (há um mês) muita coisa mudou – graças ao meu querido Deus! Lá eu expus a “agonia” do meu coração que parecia estar quebrado. Logo depois pensei em escrever sobre o modo como Ele foi me tirando daquela sensação de impasse e desconforto, que foi por meio de muitas canções, louvores, músicas, sons miraculosos que amoleceram gradativamente minha alma ruída, que na verdade, costuma ser o mais certeiro e infalível método que meu Criador usa para me levantar de momentos assim… O que seria de mim sem o Teu cuidado, Pai de todas as nações?!

Alguns amigos bem próximos às vezes dizem que “eu tenho mais acesso a Ele”! Não acredito que seja isso, mas desde que eu me lembro de ter em mim esta vontade pela Sua companhia, procuro me apresentar mais seguidamente perante Ele (eu percebo que é praticamente todo dia, quando eu sinto ou penso algo, é a Ele que me dirijo, em pensamento, ou conversando  mesmo).

Mas o que eu estou me sentindo muito a vontade de escrever hoje (ao som de Josh Garrels, pra não perder o costume e a mania; Ben Howard e Birdy), além deste processo de melhora que tenho vivido, em decorrência das minhas seleções musicais, é de um pequeno detalhe que também observo diariamente: exatamente os detalhes. Como eu gosto muito do universo das cores e formas, é quase inevitável passar despercebido por mim coisas relacionadas a composição da estética ao meu redor.

Após aqueles dias de “pressão” e insatisfação, fiquei analisando a minha rotina, meu modo de vida, e me questionando porque eu havia entrado naquele estado, e aos poucos, foi se abrindo diante de mim a essência do meu ser, que é imensamente movido a criatividade. E pela falta de exercício das partes que regem os hemisférios artísticos do cérebro, nos últimos anos, entrei num estágio quase paralisante, o qual gerou inevitavelmente a desordem dos sentidos.

Imagem

            Se para muitos isso parece besteira, para quem tem no sangue esta necessidade de “função Picasso” ou para quem desde criança inventava moda, literalmente, com as roupas velhas – cortando aqui, emendando ali, apertando lá – e fazendo recortes em revistas pela casa para decorar a parede branca sem vida do quarto, é simplesmente caso de vida, porque o de morte nós não podemos nem cogitar!

Foi dessa forma, buscando em Deus enlouquecidamente, e abrindo a mente para obter o entendimento que Ele desejava me revelar, por meio da musicalidade, que eu fui percebendo o quanto sou sensível ao que é visível e ao que eu posso ser capaz de criar quando estou conectada com a Fonte! Torna-se até complicado expressar tudinho, porém, o salmo 66 será meu ponto de partida para esta jornada tão cheia de inspiração, afinal ela é inesgotável!

E o que este assunto tem a ver com as imagens que separei pra ilustrar o texto? Bastante coisa! Mas vou citar duas: primeira, meu básico antes e depois (sempre clichê em Blogs que falam de Moda, Maquiagem) com o intuito desta que vos fala, em exemplificar os recursos tão amáveis que Deus nos proporciona (tá ali na imagem 2, naqueles instrumentos mágicos que toda mulher tem na bolsa); e segundo: depois de ter comprado um casaquinho na loja Zara de Porto Alegre, em fevereiro deste ano, só percebi quando cheguei em casa que a vendedora não tinha tirado o protetor magnético da peça, e aí meu lado criativo teve que entrar em ação, Glória a Deus!!! Um recorte de uma outra roupa que eu tinha guardado há muito tempo, finalmente teria seu destino (imagem 4). Para finalizar eu deixo o Salmo 66, maravilhosamente inspirado e inspirador!

“Celebrai com júbilo a Deus, todas as terras. Cantai a glória do seu nome; dai glória ao seu louvor. Dizei a Deus: Quão tremendo és tu nas tuas obras! Pela grandeza do teu poder se submeterão a ti os teus inimigos. Todos os moradores da terra te adorarão e te cantarão; cantarão o teu nome.Vinde, e vede as obras de Deus: é tremendo nos seus feitos para com os filhos dos homens. Converteu o mar em terra seca; passaram o rio a pé; ali nos alegramos nele. Ele domina eternamente pelo seu poder; os seus olhos estão sobre as nações; não se exaltem os rebeldes. Bendizei, povos, ao nosso Deus, e fazei ouvir a voz do seu louvor, Ao que sustenta com vida a nossa alma, e não consente que sejam abalados os nossos pés. Pois tu, ó Deus, nos provaste; tu nos afinaste como se afina a prata. Tu nos puseste na rede; afligiste os nossos lombos, Fizeste com que os homens cavalgassem sobre as nossas cabeças; passamos pelo fogo e pela água; mas nos trouxeste a um lugar espaçoso. Entrarei em tua casa com holocaustos; pagar-te-ei os meus votos, Os quais pronunciaram os meus lábios, e falou a minha boca, quando estava na angústia. Oferecer-te-ei holocaustos gordurosos com incenso de carneiros; oferecerei novilhos com cabritos.Vinde, e ouvi, todos os que temeis a Deus, e eu contarei o que ele tem feito à minha alma. A ele clamei com a minha boca, e ele foi exaltado pela minha língua. Se eu atender à iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá; Mas, na verdade, Deus me ouviu; atendeu à voz da minha oração.Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha oração, nem desviou de mim a sua misericórdia.”

Imagem

Abraços da Vivika

Broken – Quebrada

Imagem

Alguém mais ai também está quebrado (a) como eu? Eu gostaria muito de escrever sobre uma conquista muito grande que tive, de uma oportunidade que apareceu e eu agarrei, de algo extraordinário, de verdade! Mas eu tenho que derramar através dos meus dedos o que eu imagino que alguma outra pessoa também sinta, viva, em algum lugar por estes dias. E apesar deste texto não falar de coisas lindas, fofas e doces, eu sei que elas estão vindo ao meu encontro, e quando eu as vir, vou saber compartilhar também, talvez não tão bem, pois dizem que quando estamos passando por fases melancólicas, a “obra do artista” é ainda mais valiosa e produtiva.
Então, vamos lá! Estar quebrado não é legal, eu não gosto de me sentir com estas rachaduras, mas eu amo quando descubro onde elas se encontram, lá na minha alma, ali no meu coração, porque ai nada me segura, eu busco fazer tudo o que meu Conselheiro me orienta, pra deixar a área bem limpa. É como o período de um curso, de uma faculdade, de qualquer compromisso na vida profissional em que sabemos que vai durar em média 8 semestres e precisamos renunciar algumas coisas que gostamos como aos finais de semana com amigos e familiares; aos feriados agendados para serra ou para o litoral; a compra daquela moto, daquela bolsa, daquele outro curso temporário com 14 horas para aprender a fazer sushi e cup cake; e por ai vai… Mas como é difícil nesta vida parar para cuidar das coisas lá de dentro, que são primordiais para que todas estas outras se desenrolem perfeitamente!!!
Não sei se é porque os 32 se aproximam, e o balanço dos dias vividos até aqui está me deixando bastante agitada, o que eu sei é que nada pode ser igual ao que foi até aqui, preciso de acontecimentos, preciso viver, bem, preciso ver algo concreto, grandioso “aos meus olhos”. Minha alma está igual a água fervente no bule, em que sai aquele vapor todo, e tudo borbulhando ali dentro, e não posso deixar o botão do fogão ligado, tá na hora de desligar a água. Ufa! Daí as bolhas param completamente, fica ainda aquele calor, o vapor pela cozinha, e pela alma. Será que foi desse jeito que ficou a alma de Davi quando olhou para as corças, ou as imaginou? Eu não sei. Ele escreveu lá:
“Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus.” Salmo 42:1. Eu não sei mesmo responder, mas eu desconfio que Davi sentia-se como me sinto, ou eu me sinto como ele…
Vivo dias em que tenho profunda necessidade de poesia, de doçura, daquela alegria e daquela paz que o meu Deus proporciona. E da mesma forma que o Rei Davi se pergunta logo adiante no versículo 5: “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim?”, assim me encontro agora, ou me perco nesta temperatura altíssima. Mas, eu sei que não estou perdida, isso não. Eu sei para onde posso correr e me refugiar, e da mesma forma que o poeta, nos sentimos distantes de Deus, num momento da vida que só Ele pode cessar o calor da água fervente e saciar a sede do servo durante a seca, este profundo anseio por Deus. Me obrigo a dar um “stop” na agitação das águas da alma, apertar o botão.
E no final das contas, ou melhor, no balanço dos 32 anos até aqui, (muito bem) vividos, me sentir quebrada faz até bem! A gente ouve falar: “Não posso sair pra jantar, tô quebrada!” – Sem grana. “Não posso ir malhar hoje, comecei ontem, e hoje tô quebrada!” – Com o corpo dolorido e intocável. Se o bolso e o corpo ficam quebrados, e temos que pôr em dia a vida financeira e o físico, como não fazer isso com a alma? “Digo a Deus, minha rocha: por que te esquecestes de mim? Por que ando lamentando por causa da opressão do inimigo?” verso 9. Então, onde poderemos encontrar a resposta para estas perguntas? Onde está quem desliga o botão? Onde está quem trás a chuva, á água? 
E se a resposta estiver na palavra ESPERA?
Eu não vou suportar, não dá pra aguentar!!! Aahhhh, mas dá sim, a gente sabe que dá!!! Porque pra terminar minha faculdade de Design de Moda (4 anos), minha pós graduação em História da Arte (2 anos), eu precisei “esperar” enquanto estudava, me dedicava… Não tem outro jeito, Vivian. Tu ouviu ainda hoje um lindíssimo poema em forma de música
que te falou “Where you invest your love, you invest your life” (Onde você investe seu amor, você investe sua vida) … “Awake my soul, for you were made to meet your Maker” (Acorde minha alma pois você foi feito para conhecer o seu Criador).
Tá bem, eu estou entendendo, até porque já passei por dias assim antes, eles acabaram um dia. E o aprendizado é muito valioso, e eu quero tirar uma nota boa! Mais que isso, quero aprender bem esta lição para poder praticar com excelência! E como eu amo a vida em poesia e em cores, em palavras novas e formas inusitadas, em jeitos esquisitos e letras que me impulsionam a mudar, eu prossigo como Davi me ensinou: “Contudo, o SENHOR, durante o dia, me concede a misericórdia, e à noite comigo está o seu cântico, uma oração ao Deus da minha vida” V.8. “Então, irei ao altar de Deus, de Deus, que é a minha grande alegria; ao som da harpa te louvarei, ó Deus, Deus meu.” Salmo 43: 4.
Até a água ficar em temperatura ambiente para poder colocar na geladeira e estar propícia ao consumo, vou esperando, minha alma louvando, cantando, meus dedos registrando, meus pensamentos se aquietando, meditando em Seus mandamentos, pouco a pouco, vapor a vapor, gole por gole, tudo se acalma, e a esperança vai promovendo a vida! 
Espera em Deus, 
pois ainda o louvarei, a ele,
meu auxílio e Deus meu.
Salmo 43: 5
          Vivian Wolf

Mumford and Sons – Awake my Soul > https://www.youtube.com/watch?v=KpcBjt8Wqg8

Desintoxique…

 
Imagem
 
Muito se fala de novas dietas, combinações para manter a forma em uma era que o culto ao corpo está tão evidente. Academias pipocando, lojas especializadas em oferecer suplementos e pilulas, profissionais direcionados a conquistar o corpo perfeito. O suprassumo do momento é a ingestão do suco verde, a chamada dieta de detox.
Desintoxicar está na moda! Vamos fazer faxina no organismo, reduzir as gordurinhas! Os mais obcecados se dedicam afixionados, fazem um ‘jejum’ para consumir o mínimo de calorias, e até mesmo passam por um bisturi para esculpir o corpo desejado.
Efésios 5:29 nos diz: “Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida…”
Viver em equilíbrio é o que esperamos no mundo de hoje; onde o stress, a falta de tempo faz com que elejamos algumas coisas como prioridades.
Se procuramos desintoxicar nosso corpo físico, que segundo 1 Coríntios 6.12-20  “Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” Por que então não descartar as sujeiras da mente, eliminar as impurezas do nosso pensamento?
Assim como somos  bombardeados por substâncias nocivas, como medicamentos, corantes, conservantes, gordura, etc que acumulam em nosso organismo; nossa mente e coração estão suscetíveis a armazenar resíduos que comprometem nosso caminhar com Deus, nossas escolhas, nosso crescimento espiritual.
Pessoas estão dispostas a se sacrificar pelo estereótipo exigido na sociedade, mas não querem se comprometer à uma aliança com Deus, a uma obediência.
“Se confessarmos os nossos pecados a Deus, Ele cumprirá a Sua promessa e fará o que é correto: Ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade.” 1 João 1:9
 
 
 
Texto de Letícia Wolf 

A moral que não é minha, não é sua, não é de Hitler ou de Freud. É de todos nós.

Imagem

Imagem: Reprodução

     Quem consegue retomar uma caminhada após um grande impacto emocional, seja pessoal ou social? E quem tem a maestria em lidar com conflitos internos e externos, recentes e distantes?

     Após ler um artigo do site Folha UOL, do dia 23/10 com o título “Empresa alemã Dr. Oetker revela sua relação com o regime de Hitler”, veio a minha memória um pensamento que formei já faz algum tempo: o passado obscuro das pessoas e instituições só vem à tona muito tempo depois e é raro descobrir a mazela humana próximo do ocorrido.

     É muito difícil encarar os próprios erros, medos, falhas, conduta imoral, mesmo numa sociedade ocidental tão condizente com o erro (aqui eu bem que gostaria de usar a palavra pecado, com todo o sentido que ela deve representar). E não entrando no mérito religioso ou na vida com Deus, mas por estar intrínseco ao comportamento do ser humano, vejo que colocar a sujeira debaixo do tapete parece sempre a ação mais fácil no presente momento.

     No gancho da história da alemã Oetker, não devemos ficar escandalizados com o que vier a luz de hoje em diante, sendo que nós mesmos temos um e outros deslizes que queremos esconder, e outros talvez tenham alguns bons anos de lutas para esquecer.

     A questão da moralidade é tão esmiuçada por tantos filósofos, teólogos, psicanalistas e psicólogos, que basta um pocadinho de boa vontade do vivente e buscar leituras de bons escritores e pesquisadores, bem como conversas com pessoas próximas, que detenham um certo conhecimento de vida, com princípios éticos e morais capazes de trazer esclarecimento, e não agregar mais devaneios e tormentos pra alma e pra mente.

     E pelas minhas variadas pesquisas cibernéticas, aliada aos encontros com amigos e entes queridos, me senti impelida a tentar encaixar neste assunto algo que, a princípio eu não estava a procura, mas por ter nascido esta vontade de escrever para o Blog algo com mais embasamento científico e bíblico, assumi o desafio literário.

     Embora não seja do meu feitio, e por não ter o hábito, até o momento, de compartilhar nas redes sociais, assuntos de cunho sexual, encontrei mais um artigo, agora de Augustus Nicodemus Lopes, que achei muito interessante e inteligente, pois este professor utiliza do embasamento bíblico para refutar suas idéias, e também explana alguns conceitos e idéias do psicanalista Sigmundo Freud. Alguns termos – como este lá da década de 20, citados por meu pai, dos “dois princípios mais amplos, o princípio da vida e o princípio da morte, os quais ele denominou EROS e TANATOS, e os dois princípios que geram a tensão que move o ego.” E nessas conversas muito eruditas de meu pai, onde chamou a minha atenção e resolvi partilhar aqui com meus amigos.

     Tanto naquele desejo dos pesquisadores mencionados na reportagem, de se aprofundar no conhecimento da época em que os nazistas fizeram milhares de vítimas em prol de um “sonho” insano, idealizado por um líder desenfreado, quanto o desenvolvimento do raciocínio do professor sobre as idéias do famoso psicanalista, em que se baseava nas tensões ocasionadas pela prática, ou não, do sexo, e suas consequências comportamentais na sociedade, percebi uma ligação destas duas histórias, que é o poder.

     O poder e o desejo de uma figura influente que vêm dominar os demais com fúria e autoritarismo (diferente de autoridade), caminham velozmente na direção do sexo, que como ouvi há poucos dias numa pregação feita por um jovem líder evangélico, destino esse que ele considera hoje a maior “religião” dos últimos tempos. E esta frase ficou na minha cabeça, e nela fiquei meditando por vários dias, e me questionando se isto é verdade.

     Bom, ainda não cheguei a conclusão se é ou não verdade, até porque tem tanta coisa que eu me pergunto, e fico pensando por dias, que não fui muito adiante nesse tema, embora tudo hoje em dia gire em torno de sexo. Não sei se consegui consolidar minhas idéias, porém, o único ponto que concluo após construir este assunto, é que ambos os assuntos, nazismo e sexualidade, quase sempre fazem parte das conversas do meu pai comigo. Bom saber o que ele estudou durante a vida e o que ele pensa, e é sempre bom estreitar os laços com quem amamos e com quem nos ama, e com pai e mãe, melhor ainda. Fica então esta dica, caso a compilação de dados não tenha ficado muito clara (os links podem ser acessados clicando nas palavras destacadas neste texto, e na qual eu garanto que vale a pena tirar mais um tempo pra ler, e aprender).

Abraço da aspirante blogueira, leitora, curiosa e quem sabe um dia enfim, escritora…

Vivi S Wolf

> Eu não ia conseguir deixar de colocar aqui o link com a música Decisions que me inspirou a escrever, do músico Josh Garrels, e que eu tenho ouvido todos os dias sem enjoar, bom demais o som do moço!

Metabolizando


Imagem

Imagem: Reprodução

Neste segundo semestre de 2013 tenho passado por uma “reformulação de dados” em várias escalas e esferas da vida. E os aspectos que eu tinha adquirido nos últimos dois anos começaram a se transformar de uma maneira quase que “forçada”, parecia um novo nascimento, se é que isso existe, acredito que sim. E foram em todos os âmbitos: profissional, social, pessoal, residencial, cultural, musical… Ah, este aí me compõe, me eleva e faz todos os outros rumos fluírem, ou não!
De uns tempos para cá o desejo de aprender a língua inglesa, tem me despertado os sentidos, e por eu ser um tanto rígida comigo mesma, estou vendo este despertar como algo positivo, vivo, benéfico, afinal, exigir muito de si mesmo requer um desgaste de energia estrondoso, que quando estoura, arremessa os cacos das ilusões a quilômetros de pessoas, ops, digo, de distância.
Sair do mundo cor de rosa, do conto de fadas, do paraíso inventado nos meios espirituais templários requer esforço e dedicação pessoal bem direcionado, onde a dependência que tínhamos nas pessoas, precisa ser trocada, novamente se necessário, pela soberana onisciência de Deus. E eis que quando esta entrega, esta troca acontece, é como se o nosso interior todo participasse de uma espécie de “metabolismo intelectual”.
Assim como o processo de metabolismo do corpo humano tem as reações químicas que ocorrem dentro do organismo e tem a função de mudar ou produzir moléculas, que acontece no estado anabólico (formação dos compostos) ou catabólico (quebra dos compostos), tive uma percepção de reação mental e espiritual acontecendo com formações e quebras de sentimentos e conceitos. Da mesma forma que para se manter o organismo vivo é gasto uma certa quantidade de energia, quando se respira, dorme e para se manter as funções cardiovasculares que o organismo utiliza de sua reserva calórica, fiz uma comparação com a nossa mente, que também se vale destes estados anabólico e catabólico.
Talvez eu esteja também num momento bastante filosófico da vida, mas quem nunca, que me atire a primeira letra (pense numa música) … Fato é que se algo não está acontecendo fluentemente, com ânimos dispostos rumo à destinos sorridentes, é preciso uma reavaliação, e se preciso, mudança deste rumo. A motivação deste post hoje foi simplesmente uma das minhas paixões, que vem desde a infância: a MÚSICA. Curiosa que sou, tento me abrir para entender o “modus operandi” desta humanidade, agora tão liberal e cheia da expressão “nada a ver”. Ai, na música, encontrei o Blog do músico Marcos Almeida, que em setembro começou a divulgação de canções brasileiras com temática espiritual. Uau, definitivamente encontrei um tesouro. Então vou especulando aos pouquinhos, mas prosseguindo no mesmo, ou até maior, amor pelo meu incentivador – Espírito Santo! S2

Na fé e em canções,

Vivi Wolf

A Glória da segunda casa será maior que a primeira.

Imagem

            Segunda quinzena do mês de setembro que antecede o começo da primavera. Alguns dias para o aniversário de 62 anos do nosso pai. E primeira semana na nossa nova casa. Muitos motivos para comemorar!!! Vou contar um pouco sobre nosso novo endereço. O processo da mudança começou no mês de julho, onde recebemos uma notificação solicitando a liberação do apartamento para a filha da proprietária que passaria a residir no local. Foi uma surpresa um tanto desagradável. Confesso que para mim é difícil lidar com o desapego: digo emocional, não material. 

            Além disso, vários motivos se sobressaiam para nossa permanência ali: localização, o apê atendia todas as nossas necessidades (sem mobília, garagem privativa, elevador, etc), boa vizinhança, valor do aluguel “acessível” para os padrões de Balneário Camboriu, e eis que surge o desgaste de realizar uma mudança. Porém, eu sabia que há quatro anos Deus tinha preparado um ninho para nós, e Ele estava preparando uma tenda abençoada agora também!

            Antes de começar a maratona em busca de um novo lar, eu e minha irmã oramos e pedimos a Deus para cuidar das instalações futuras. Abrir as portas do lugar que deveríamos ficar! Optamos em dar preferência na atual imobiliária, mas as opções desta não corresponderam nossas expectativas. Buscas na internet, anúncios de jornais, contato com amigos, caminhadas ao longo da cidade… Algumas visitas, algumas decepções. Foi então que a imobiliária nos comunicou o prazo para a liberação do antigo apartamento: 14 de setembro.

            Sabemos que Deus está no controle de nossas vidas e cuida de todos os detalhes. Descansamos no Senhor. Fazemos a nossa parte e Ele faz a Dele. Foi quando nesse tempo surgiu o convite para participar de um retiro de mulheres da igreja Bola de Neve, 23 a 25 de agosto. Devido os gastos não programados com a mudança, achei que não seria o momento de participar. Mas como Deus nos surpreende e envia anjos para nos abençoar, minha inscrição havia sido feita.

            As ministrações eram voltadas com a mensagem “A Glória da segunda casa será maior que a primeira”. Amém! E ali Deus começou a falar comigo sobre a beleza do Novo Templo.

“A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o Senhor dos Exércitos, e neste lugar darei a paz, diz o Senhor dos Exércitos.”

Ageu 2:9

            Voltei para casa glorificando a Ele e com o coração tranquilo, sabendo que Deus estava trabalhando em mim o desprendimento da antiga casa para construir de novo o templo; abundando a paz e prosperidade. Depois de algumas visitas encontramos um lugar que nos identificamos; central e iluminado, dentro do nosso orçamento. Antes de sair do apartamento oramos “Deus, seja feita Tua vontade”! Devolvemos a chave, aguardando um retorno da imobiliária. Sendo este lugar o nosso, Deus iria providenciar tudo, cuidando de todos os detalhes.

            Uma vez tendo a confirmação da disponibilidade do apartamento, a partir dali corremos para providenciar todos os documentos. O sistema de aluguel através das imobiliárias em Balneário Camboriu funciona mais ou menos como tirar um visto americano. Muita documentação e exigências. Esbarramos com a questão de fiador, e Deus nos enviou pessoas abençoadas que se comprometeram conosco. 

            Paralelamente a isso, providenciamos a transição de casa. Contatamos empresas de mudança e pintura, alguns consertos eram necessários, e assim as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. A mão de Deus foi tão cuidadosa que apesar de alguns contratempos surgidos nos 20 segundos do segundo tempo estamos começando uma nova história, em novo endereço. O antigo apartamento está pronto para entrega, enquanto aos poucos nosso lar atual está ganhando vida em meio a objetos encaixotados.

            A casa nova é iluminada. Literalmente. Contemplamos na vista da nossa sacada o Cristo Luz, atração turística da cidade similar ao Cristo Redentor. A cada dia temos a certeza de que o nosso Cristo Jesus está de braços abertos para nós, disposto sempre a iluminar nossos planos, nossa vida, nossa casa!

 

Texto de Letícia Wolf 

Nosso Corpo. Teu templo!

Imagem

Imagem: Reprodução

Acompanhamos tantas barbaridades nos noticiários hoje em dia que as vezes não nos  chocamos mais com o comportamento humano.

Pois lembro que quando ainda não conhecia Jesus algumas atitudes me causavam indignação. “Como esse ser humano é capaz disso?” “O que leva essa pessoa a fazer isso?”

Fico perplexa em ver as noticias do mundo e penso no quanto estas pessoas carecem de amor. Mais do que amor-próprio. Todos precisamos saber o quanto Deus nos ama, através do envio do Seu Filho à cruz para apagar os nossos pecados.

Dias atrás abrindo a página do ClicRBS, me deparei com a informação que me fez pensar na forma com que a juventude de hoje está encarando o sexo e a “reportagem” falava o seguinte: “Garota de 21 anos quer bater recorde fazendo sexo com 100 mil homens. A polonesa Ania Lisewska, quer entrar para o Livro dos Recordes (Guinness World Records). A moça promete 20 minutos de relação com cada parceiro, e garante já ter dormido com quase 300. Ania quer candidatos de todo o mundo, e pretende só fazer sexo com seus pretendentes dos finais de semana. Para aumentar o insólito da coisa, a guria tem um namorado, que precisa aceitar esse peculiar objetivo de vida.”

“Por isso digo: Vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne. Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam.” Gálatas 5:16-17 

Eu volto com minha pergunta anterior, “O que leva essa pessoa a fazer isso?” Carência? Aceitação? Loucura? Já vi muitos recordes inusitados obtidos neste livro, mas esse tipo de “meta” eu pessoalmente, considero um distúrbio grave. E ela precisa procurar um médico.

“Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes.” Mateus 9:12

Mais triste talvez nesta história é ver que seu namorado seja conivente com esta decisão. Como aceitar que a pessoa que você ama seja compartilhada com outros parceiros como se fosse um objeto?

Talvez as notícias reais sejam decepcionantes, mas nós crentes vivemos em experiências sobrenaturais. Para Deus nada é impossível. Em nome de Jesus estas vidas serão transformadas. Ele está acima de qualquer record, somente Ele é capaz de nos colocar na posição mais elevada no livro da vida!

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” 2 Coríntios 5:17

Abs, com carinho

Deus abençoe a todos!

Letícia

FB: https://www.facebook.com/leticia.wolf.9?fref=ts

http://wp.clicrbs.com.br/mundoidao/2013/09/03/garota-de-21-anos-quer-bater-recorde-fazendo-sexo-com-100-mil-homens/?topo=52%2C1%2C1%2C%2C224%2Ce224